CÁSSIO M'BOY







EMBU - SÃO PAULO - BRASIL




Cássio Da Rocha Matos, Paulista de Mineiros do Tiete, chegou à Embu em 1920, desenhista de traços apurados já era conhecido em São Paulo por seu talento, e por freqüentar eventos artísticos e culturais.


Por ser reconhecido e inovador recebia em sua residencia artistas e intelectuais da época entre eles Tarcilla do Amaral. Anita malfatti, Oswald de Andrade e outros.


Suas idéias de fazer uma arte puramente brasileira contagiava e agrupava simpatizantes ao seu redor, de sua sombra saíram Sakai do Embu, Assis e outros que além de produzirem um trabalho premiado internacionalmente, criaram a Feira De Artes de Embu no final da década de 60 que com o advento de hyppies nos anos 70s e artistas trazidos por Assis e pela fama da cidade fizeram a desconhecida Embu ser mundialmente conhecida e se tranformar num celeiro de artistas que ainda hoje fazem da cidade um lugar encantador.


Eu sou um caipira urbano, mas sou também um homem da roça, formado e vivido nela. Eu tenho sangue negro, branco e índio, mas não sei onde estão...


Sou um caipira quatrocentão dadas as minhas origens nobres...


Sou um pintor erudito, dentro do caipirismo. Fora da minha área cultural, posso ser classificado como primitivo, isso para os que não sabem da existência do caipirismo, que é o caso dos estrangeiros.


A minha pintura não tem falsidade. É caipira até a alma. O caipira é o melhor que existe do nosso povo. Você encontra o caipira puro numa festa do interior, num chofer de caminhão. Ele sucede ao bandeirante e aos tropeiros. Não se pode fazer pintura caipira sem sentir o religioso. O caipira gosta do religioso, de imagem, de santinho, e folhinha religiosa, de festa de religião. Eu por exemplo, não tenho religião, mas sou altamente místico.


Tenho o caipirismo dentro de mim.


"Cássio M'Boy por Cássio M'Boy"

www.mboy.com.br